Mãos Sem Fronteiras Logo

Mãos Sem Fronteiras

5 minutos ao dia mudarão sua vida!

Onde fica o céu?

La Jardinera - 20 de maio de 2017

Minhas queridas sementes,

Quero compartilhar uma história muito bonita, uma história de todos os dias.

Havia um Samurai que ia sempre à guerra para defender seu país e o imperador. Ele guerreava e lutava tanto que estava sempre de mau humor – poderia ser um general, um capitão ou um guerreiro valente – e não encontrava a paz, sempre fazendo perguntas sem encontrar respostas.

Sua principal pergunta era: “Onde fica o céu?” Ninguém sabia responder. “Onde fica o céu?” e ninguém respondia. Até que finalmente lhe disseram: “Vá conversar com o sábio da colina. Ele fala pouco, mas sabe tudo.”

Ele subiu a montanha e chamou à porta, mas ninguém respondeu. Como tinha muita força, deu um pontapé e a porta se abriu. Ia pedir àquele Mestre que finalmente lhe dissesse onde ficava o céu. O sábio era um velhinho bem magrinho e, sem cumprimentá-lo, o Samurai perguntou a ele: “Onde fica o céu? Disseram-me que você saberia.”

O velhinho olhou para ele e respondeu com um grande sorriso. O Samurai insistiu: “Onde fica o céu? Você ainda não me respondeu.” E o sábio sorriu. O Samurai ia ficando cada vez mais irritado porque o sábio não atendia seu pedido. O velhinho lhe ofereceu uma xícara de chá ou um copo de água, e ele jogou para longe com uma patada.

Então, sempre sem responder, o velhinho olhou para o Céu. O Samurai observou seu olhar, voltou-se para o alto. Nesse momento, sua alma se abriu e, apenas com aquele gesto, ele compreendeu que o Céu estava nele; não apenas acima, no teto do mundo, no Universo, mas nele mesmo, porque tinha um sorriso nos lábios e estava em paz, em harmonia. Tinha sido recebido com um grande sorriso e amabilidade, e então ele se deu ainda mais conta de que quem estava no inferno era ele, porque se zangava, porque ficava com raiva, nunca estava contente, sempre queria mais, exigia mais de si mesmo e dos outros e não tinha conseguido tudo, apesar de ser corajoso.

Então continuou pensando: “Estou sempre com raiva, não me dou conta do que fazem por mim, não sou suficientemente agradecido, não me falta nada, posso vencer o mais forte, consigo mais do que o necessário. Para que me serve controlar a guerra, meu exército e minha casa, se o que eu preciso é do Céu, da Paz, de saber que há uma parte de mim que está clamando - e que se chama alma - e é ela que necessita do Céu. E é isso que ela encontrou neste velhinho: a serenidade em sua alma é a Paz em seu corpo.

Eu me inclinei diante dele e lhe agradeci e disse que nunca mais seria grosseiro, que nunca mais abusaria dos outros, que sempre seria feliz com o que me deram, que não seria mais controlador e que não adiantava nada eu ficar com ciúmes, nem com inveja, nem mesmo ser violento. Comecei a respirar, dei alguns passos para trás, e amavelmente saí daquela casa; e descendo novamente a montanha, agradeci. Agradeci ao céu que tantas vezes procurei e que estava acima de minha cabeça e que eu tinha dentro de mim mesmo e nunca o tinha visto.”

Minhas estrelas, lembrem-se de que vocês são como aquele sábio. Vocês têm dentro de si o Céu, a Luz e o Amor do Universo. Não ambicionem mais, porque o que vocês já têm é suficiente nesta vida. Preparem-se para a próxima, que será – que já é a maior - e será a mais extraordinária. Vocês estarão só

Se os acontecimentos avançam, se a sociedade avança, vocês também avançam, mas no Caminho da Alma. Tudo está acontecendo com muita rapidez, não nos damos conta disso e a memória já se foi. Não nos damos conta e já envelhecemos. Vamos lutar para nos mantermos despertos e no caminho da Luz.

Com todo o meu amor!

La Jardinera